Selo Reimagine

Notícias

Publicado em 18 Julho 2017

Unesp desenvolve sistema avaliativo inteligente e acessível para cursos nas modalidades EaD e Híbrida

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

Em fase de implementação pelo Núcleo de Educação a Distância, sistema atenderá à necessidade de inovação no gerenciamento e acompanhamento das atividades acadêmicas

O Núcleo de Educação a Distância (NEaD) e o Departamento de Estatística da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) da Unesp desenvolveram um sistema acadêmico integrado e acessível de avaliação de aprendizagem para utilização em cursos nas modalidades a distância e híbrida. Subsidiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o projeto beneficiará estudantes, professores e profissionais técnico-administrativos de toda a universidade.

De acordo com o professor Klaus Schlünzen Junior, coordenador do projeto, a presença das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) na modalidade EaD implica em repensar e reorganizar a avaliação dos processos de ensinar e aprender, de maneira a mensurar o grau de proficiência incorporado nesses processos. “Serão implementados nos Ambientes Virtuais de Aprendizagem sistemas de avaliação qualiquantitativa, nos quais não somente as atividades, mas todo e qualquer registro será analisado, como a participação nos fóruns”, explica. “Esse método será útil para a observação dos avanços e participação do estudante, bem como para o diagnóstico de resultados do curso, permitindo ações imediatas para corrigir eventuais falhas, sem a necessidade de questionários de avaliação para detectá-las”, completa.

Segundo o estatístico da FCT/Unesp, Mário Hissamitsu Tarumoto, também serão empregados Testes Adaptativos Computadorizados (TAC), cujos resultados podem ser avaliados a partir da Teoria de Resposta ao Item (TRI). “A junção dessas duas técnicas permitirá a comparação do índice de aproveitamento do estudante em diferentes situações”, assegura o professor. Os TAC se adaptam ao nível do examinando: após analisar uma resposta, disponibilizam uma questão mais fácil ou mais difícil. Já a TRI avalia o erro ou acerto de cada questão (item) a partir de três parâmetros: dificuldade da pergunta, discriminação (diferenciação entre os que dominam e os que não dominam determinada habilidade) e acerto casual (possibilidade de acerto por “chute”). O projeto prevê também a disponibilização de um banco de questões que poderá ser usado pelos docentes na elaboração de suas avaliações.

Acessibilidade e mobilidade

Outra importante característica do sistema de avaliação é que ele será acessível a pessoas com deficiências físicas, auditivas ou visuais, assim como já são os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) da Unesp. Códigos computacionais permitirão o emprego de leitor de tela, audiodescrição, Libras e legendas. O acervo digital da universidade, repositório com mais de 120 mil documentos, incluindo objetos educacionais, vídeos e e-Books, será ampliado com novos materiais acessíveis. “Após a formação de equipes técnicas, gestores e docentes, esperamos que a cultura e os preceitos da educação inclusiva sejam propagados por toda a universidade”, ressalta a professora Elisa Tomoe Moriya Schlünzen, coordenadora do NEaD/Unesp.

A adoção desse sistema acadêmico favorecerá a mobilidade estudantil intra e interinstitucional, nos âmbitos nacional e internacional, uma vez que serão facilitados o gerenciamento e a troca de informações sobre o rendimento dos estudantes.

Utilização pelo Sistema UAB

Uma vez que o projeto tem financiamento público pela CAPES, poderão utilizar o novo sistema as instituições de Ensino Superior pertencentes ao Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB/CAPES), cujo propósito é democratizar o acesso a essas instituições por meio da modalidade EaD. “Buscamos, com esses recursos de avaliação e tecnologia assistiva, equiparar oportunidades, melhorar o processo de avaliação da aprendizagem, aprimorar o gerenciamento acadêmico, favorecer a formação de recursos humanos e estimular a pesquisa sobre EaD. Esses são pressupostos também da UAB”, lembra o professor Klaus Schlünzen Junior.

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
  • a-LogoUniceu.png
  • b-logoprefeiturasp.png
  • banner_mestrado_profissional.jpg
  • c-LogoProexOver.png
  • d-LogoProgradOver.png
  • e-LogoPropgOver.png
  • f-logocetesb.png
  • g-LogoSecEducacao.png
  • h-LogoUAB.png
  • i-LogoCapes.png
  • j-logoMEC.png
  • k-LogoAna.png
  • l-logoMinisterioMeioAmbiente.png
  • m-LogoCulturaAcademica.png
  • n-LogoEditoraUnesp.png
  • o-LogoVunesp.png
  • p-LogoFundunesp.png
  • q-logoIBC.png
  • r-logouabpt.png
  • s-LogoFundacaoEspacoEco.png