Selo Reimagine

Notícias

Publicado em 05 Julho 2016

Homenagem reconhece a excelência das ações do NEaD para tornar o Ensino Superior acessível aos estudantes que são alvo da Educação Especial

testestestete

Desde sua instituição, em 2009, o Núcleo de Educação a Distância (NEaD) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) tem se preocupado em proporcionar uma educação acessível, valendo-se, para isso, das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação e da Tecnologia Assistiva. Seus pesquisadores e profissionais implementaram um conjunto de soluções para a formação de professores e a adequação de  ambientes virtuais de aprendizagem, materiais didáticos e metodologias de ensino, visando à inclusão, no ensino superior, dos estudantes público-alvo da Educação Especial (pessoas com deficiências, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação). Essas iniciativas e seus resultados foram reunidas em um projeto, considerado um dos onze melhores entre 61 apresentados à Organização Universitária Interamericana (OUI) para concorrer ao Prêmio Interamericano de Inovações Educativas no Ensino Superior

As Menções de Honra serão entregues no dia 25 de novembro, na XXXVI Assembleia geral de Membros da OUI, que acontecerá na Universidade de Guadalajara, no México. Na ocasião, será lançado um livro com as práticas finalistas. Segundo a organização, sua proposta foi oferecer às suas Instituições de Ensino Superior um conjunto de plataformas de intercâmbio e de visibilidade sobre os paradigmas, modelos, práticas, experiência e casos, entre outros, convertidos em exemplos concretos de contribuição às urgentes transformações das universidades para que, garantindo a distribuição social do conhecimento, assumam plenamente seu papel de entidades transformadoras de seu meio. Para a escolha dos três primeiros colocados e das oito instituições que receberam menções honrosas, o jurado do prêmio baseou-se nos critérios de vínculo com a missão e as políticas Institucionais, natureza inovadora, resultados com impacto demostrado, modalidades de seguimento e sustentabilidade e continuidade.

“As Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC), somadas aos recursos das redes telemáticas, permitem o estabelecimento de uma cultura inclusiva e tecnológica”, ressalta o professor Klaus Schlünzen Junior, coordenador do NEaD/Unesp. “Todos devem ter a oportunidade de aprender e de desenvolver suas diferentes potencialidades, e isso pode ser feito por meio de um Ambiente Virtual de Aprendizagem”, frisa o educador, que apresentou as práticas inclusivas do NEaD durante o Seminário Modelos Educativos Inovadores, na República Dominicana, que aconteceu entre os dias 22 e 24 de junho, momento no qual o núcleo estava entre os 33 pré-finalistas do prêmio da OUI.

 A professora Elisa Tomoe Moriya Schlünzen, especialista em educação inclusiva do NEAD/Unesp, lembra que, segundo o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aproximadamente 24% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. “A sociedade da informação e do conhecimento não deve esperar que a pessoa com deficiência se adapte às estruturas já existentes. O pressuposto da inclusão é o de que a escola ou sistema educacional e a sociedade modifiquem suas estruturas e se adaptem às diferenças”, salienta.

Para atender esse público, desde  2014, a Unesp oferece seus cursos na modalidade a distância e híbridos com todos os recursos de acessibilidade, tornando-se a primeira universidade brasileira a oportunizar acesso total e independente a pessoas com deficiência visual, auditiva e motora. Todos os materiais educacionais contam com os recursos de audiodescrição, Língua Brasileira de Sinais (Libras) e legendas. Os ambientes virtuais de aprendizagem são autoconfiguráveis, podendo ser personalizados de acordo com o perfil e necessidades de acessibilidade do usuário. Esse trabalho teve início por meio de uma parceria com a Secretaria do Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, que também possibilitou a criação do Centro de Promoção de Inclusão Digital, Educacional e Social - o CPIDES, na Faculdade de Ciência e Tecnologia de Presidente Prudente da Unesp, que desenvolve pesquisas e cursos voltados à formação do professor para o trabalho com o público-alvo da Educação Especial e para a criação de modelos de conteúdos educacionais acessíveis.

Outras ações do NEaD/Unesp para a acessibilidade e inclusão são: cursos de especialização em Educação Especial e Inclusiva para professores e gestores do estado de São Paulo, em parceria com a Rede São Paulo de Formação Docente (Redefor); curso de Libras para estudantes de graduação da Unesp; cursos abertos de Libras e sobre a Lei de Diretrizes e Bases, criados com o  conceito de  i-MOOC (Massive Online Open Courses inclusivos). Nesse último caso, os ambientes virtuais de aprendizagem foram construídos com textos digitais acessíveis; ferramentas adaptadas para navegação via teclado e uso de leitores de tela; inserção de descrição de imagens e uso de alto contraste, com conteúdos em fundo preto e letras em amarelo, verde e branco. Atualmente, está em andamento a segunda edição do curso de graduação Licenciatura Semipresencial em Pedagogia, para mais de 900 cursistas, com recursos de acessibilidade implementados em todos os materiais didáticos e no ambiente virtual.  

Vanessa Krunfli Haddad 

  • LogoAna
  • LogoAndef
  • LogoCapes
  • LogoCulturaAcademica
  • LogoEditoraUnesp
  • LogoEscolaDeFormacao
  • LogoEstadoSP
  • LogoFundacaoEco
  • LogoFundunesp
  • LogoMec
  • LogoProex
  • LogoPrograd
  • LogoPropg
  • LogoSecEducacao
  • LogoUab
  • LogoVunesp